A Arte

A filigrana é um termo derivado do latim FILUM que designa fio e GRANUM, que significa grão. É uma técnica milenar, exclusivamente manual, de trabalhar o ouro e a prata através de graciosos e finos fios destes metais. O resultado é um incrível, único e robusto rendilhado digno de ser usado pela mais sublime das mulheres.

Detalhe de uma peça em Filigrana Portuguesa

A filigrana é uma arte tradicional da joalharia portuguesa não obstante ser usada nos mais diversos locais em todo o mundo, teve um crescimento particularmente relevante nos países mediterrânicos. Em Portugal, foram descobertas peças de filigrana que remontam a 2000-2500 A.C não estando no entanto determinada com precisão a sua origem. É sabido que esta arte era conhecida pelos indianos e chineses, bem como pelas civilizações Romanas e Grega. No século VIII quando os Árabes entraram na Europa, contribuíram de forma notável para esta técnica de ourivesaria, através da criação de obras de arte que enriqueceram a estética das peças.

A tradição de outrora é preservada até aos dias de hoje, através de pequenas oficinas localizadas no norte de Portugal (predominantemente nas zonas de Gondomar e Póvoa do Lanhoso). São locais primitivos onde não existem altas tecnologias mas sim segredos que pairam no ar, alguns dos quais se perderam no tempo pois os seus mestres não viveram o tempo suficiente para os transmitirem.

Artesão a trabalhar peça em Filigrana Portuguesa

Constituindo-se como ornamento e símbolo de distinção social, a filigrana em ouro revelava-se ainda um investimento e uma mais-valia do agregado familiar sendo usada como ornamento precioso para ocasiões festivas especiais, quer por grupos sociais de classe mais elevada.

Minhotas a usar Filigrana Portuguesa

Durante os feriados e as procissões religiosas, pelos quais a região do Minho é famosa,  é impossível retirar os olhos das raparigas e mulheres em vestidos tradicionais ornamentadas com uma quantidade estrondosa de ouro. Muitas destas mulheres herdaram as peças das suas mães.

A filigrana portuguesa orienta-se para o sentimento das coisas humanas representando temas variados como a história, a natureza, a religião, o amor. O desenho é feito pelos nossos artesãos: o mar é representado por variados, peixes, conchas, ondas a Natureza por ramos floridos e grinaldas, corações e cupidos simbolizam o amor.